domingo, 19 de janeiro de 2014

402 - Para memória presente e futura: “As dificuldades justificam uma política pública de leitura, nas escolas e fora delas”

“As dificuldades justificam uma política pública de leitura, nas escolas e fora delas”

Entrevista a Teresa Calçada, coordenadora do gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares.

Teresa Calçada pediu a reforma no final de Dezembro João Cordeiro
À frente da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) desde 1996, Teresa Calçada despede-se com a certeza que o programa vai continuar, apesar das dificuldades.
Não é exagero dizer que Teresa Calçada é a mãe da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE). Técnica do Instituto Português do Livro desde 1982, esteve na génese da criação da Rede de Bibliotecas Municipais e, anos mais tarde, fez parte do grupo que pensou as bibliotecas nas escolas, acabando por assumir a sua direcção. No final de 2013, depois de 17 anos à frente da RBE, pediu a reforma. "Não sei bem porquê", confessa. Contudo, tem a certeza que o trabalho começado não pode voltar atrás. Para já, vai fazer voluntariado com a sua amiga Isabel Alçada, autora e ex-ministra da Educação, na associação Voluntários de Leitura. Vão às escolas ler com os mais pequenos. 
O Ministério da Educação e Ciência já fez saber que "está a analisar a substituição de Teresa Calçada que deixa o cargo por aposentação".

ler + aqui