segunda-feira, 7 de abril de 2014

415 - Obrigado Drª Teresa Calçada

No passado dia 4 de Abril, durante a VII conferência Internacional do Plano Nacional de Leitura, foi homenagada a Drª Teresa Calçada, coordenadora do Programa da Rede de Bibliotecas Escolares.
Manuela Barreto Nunes proferiu a mensagem de homenagem, que publico na íntegra abaixo e começa assim:
"Há no mundo pessoas de eleição. E eu tenho o privilégio de, há quase 25 anos, conviver com uma delas. Quando a conheci, era eu uma bibliotecária a estrear, e andava Teresa Calçada a semear bibliotecas por um país deserto delas. Agora que se aposentou, não conheço ninguém que tenha semeado tantas. 
continuar a ler aqui"

O texto de Manuela Barreto Nunes terminou citando o poema de Jorge de Sena: Um pequenina luz...
Obrigado Drª Teresa Calçada 

Uma pequenina luz bruxuleante
não na distância brilhando no extremo da estrada
aqui no meio de nós e a multidão em volta
une toute petite lumière
just a little light
una picolla... em todas as línguas do mundo
uma pequena luz bruxuleante
brilhando incerta mas brilhando
aqui no meio de nós
entre o bafo quente da multidão
a ventania dos cerros e a brisa dos mares
e o sopro azedo dos que a não vêem
só a adivinham e raivosamente assopram.
Uma pequena luz
que vacila exacta
que bruxuleia firme
que não ilumina apenas brilha.
Chamaram-lhe voz ouviram-na e é muda.
Muda como a exactidão como a firmeza
como a justiça.
Brilhando indeflectível.
Silenciosa não crepita
não consome não custa dinheiro.
Não é ela que custa dinheiro.
Não aquece também os que de frio se juntam.
Não ilumina também os rostos que se curvam.
Apenas brilha bruxuleia ondeia
indefectível próxima dourada.
Tudo é incerto ou falso ou violento: brilha.
Tudo é terror vaidade orgulho teimosia: brilha.
Tudo é pensamento realidade sensação saber: brilha.
Tudo é treva ou claridade contra a mesma treva: brilha.
Desde sempre ou desde nunca para sempre ou não:
brilha.
Uma pequenina luz bruxuleante e muda
como a exactidão como a firmeza
como a justiça.
Apenas como elas.
Mas brilha.
Não na distância. Aqui
no meio de nós.
Brilha.

 
Jorge de Sena
1919-1978

Antologia Poética
Jorge de Sena; edição de Jorge Fazenda Lourenço
Guimarães Editores